Lustres de material reaproveitado – Stuart Haygarth

Design

Objetos comuns ganham destaque inesperado pelas mãos do britânico Stuart Haygarth. Desde 2004, o designer cria peças únicas de iluminação utilizando um princípio simples: a acumulação e o uso repetido de coisas descartadas.

Na peça acima, chamada “Optical Chandelier”, Haygarth usou 3.000 lentes de prescrição que haviam sido doadas à caridade, mas foram consideradas inutilizáveis. A obra tem 1,5m de diâmetro e não perde em nada para muitos lustres de cristal.

A paixão do designer em coletar objetos abandonados, categorizá-los e reordená-los resultou na série “Tide” (em inglês, maré). As peças são produzidas a partir de objetos de plástico recolhidos no litoral de Kent, na Inglaterra. Segundo o autor, a esfera é uma analogia à Lua, que afeta a maré, que por sua vez  lança os detritos na praia.

“Beber água mineral tornou-se uma parte tão integral da cultura contemporânea. Uma das consequências, são garrafas de plástico infestando nossas paisagens e mares”. Na série “Drop”, de 2007, Haygarth exalta a beleza dos recipientes de plástico ao mesmo tempo em que critica o seu descarte, oferecendo uma outra visão: o reaproveitamento.

Segundo Haygarth, a série “Millennium” (acima), em 2004, foi a mais importante para definir o seu “approach” artístico. Os objetos utilizados trazem uma narrativa: os party poppers (lança confetes de estourar) foram recolhidos após as celebrações da virada do milênio em Londres. Cada um dos recipientes foi suspenso por linhas independentes, assim a peça tem liberdade para balançar de forma orgânica de acordo com as correntes de ar.

Na série “Mirror Ball”, de 2009, Haygarth criou uma representação dos icônicos globos de discoteca, usando mais de 300 retrovisores quebrados. Ao pontuar que “a beleza dessas peças resulta de um violento acidente”, o artista busca evidenciar os riscos da rapidez vivida pela sociedade contemporânea. Iluminada por uma fonte externa de luz, a esfera gira lentamente e reflete os padrões de espelho quebrado nas paredes circundantes.

Alguém que recolhe objetos descartados, que iriam para o lixo e junta durante anos, separando por tipo, certamente poderia ser considerado louco. Mas a qualidade extraordinária do trabalho de Stuart Haygarth lhe rendeu enorme prestígio e reconhecimento.

Pela repetição e sobreposição de objetos semelhantes, Haygarth alcança resultados estéticos originais e surpreendentes, como na série “Tail Light”, de 2007, feita com lanternas traseiras de veículos (abaixo).

Mais do que cumprir um papel social, reciclar, fazer arte, o designer prova com seu trabalho inspirador que vale a pena transformar e dar novo uso a objetos banais ao invés de descartá-los.


ÚLTIMAS DE Design

arquiteta Caroline Gabriadesrr

Escolha o modelo ideal para a cabeceira da cama

new_Echiquier_Harcourt_1rr

Jogo de xadrez assinado pelo estúdio Nendo na Baccarat

2013.12.02_Hong_Kong_One_Plus_Partnership_UA_CineTimes_0001-6

Um cinema com projeto surpreendente!

INSTAGRAM @ARKPAD